sorry folks: u forgot tha say 'please'
voltaremos quando vos for mais inconveniente

first time? drop dead.
come back on ur 3rd time here...

teses

cómicos

readings

dee and dum

fanzines

main comix/zines

meet tha crew

about us

a Maior Banda Desenhada de Sempre

Já com alguns meses (?) mas calhámos a tropeçar nela hoje. Novamente, o fetiche dos números.

São 1625 metros de banda desenhada numa tira com 1602 vinhetas em mais de 150 quilos de papel. Foram pendurados por 50 voluntários ao longo de um túnel em Lyon, na França, como aperitivo para a 11.ª edição do Lyon BD Festival, e deram a ganhar à cidade o recorde de maior banda desenhada de todos os tempo.
Revista Estante

São estes os números a reter:

  • 1625 m
  • 150 kg

São de referir ainda mais três (3) números - que pela nossa parte descartamos de outras considerações mas em nome da transparência e honestidade intelectual, aqui ficam para futuras experiências que queiram realizar sobre a nossa hipótese ou meramente como grupo de controlo:

  • 1 túnel
  • 11 edições de Festival 
  • 50 voluntários

Estranha forma de julgar uma BD e como da última vez interrogamo-nos sobre as variações possíveis.

Desde quando avaliamos a BD ao metro? Ou ao kilo? Devem as prateleiras das livrarias e o arquivo das bibliotecas passar a reflectir esse sistema de catalogação?

Convenhamos que a ordem alfabética por AUTOR ou TÍTULO acaba por sofrer de altos e baixos esteticamente pouco recomendáveis por via das diferentes edições que se perfilam quando a coleção começa a crescer e ameaçar o já muito precário equilíbrio das estantes sobrecarregadas desuniformemente além do -aparentemente- sustentável.

Mas ainda que algum mérito possa ser descontado pela sua exactidão à catalogação por PESO, não resolve as irregularidades do TAMANHO que nos aflige, o que nos trás à segunda variável: se não foi óbvio, os metros da obra não se aplicam ao seu VOLUME mas à sua DISTÂNCIA, e por mais que tentemos não cremos de todo que se possa encontrar virtude alguma nesse tipo de inventário.

Mas voltando ao cerne da questão: o que faz desta peça "a maior BD de sempre"? - excluindo claro está o seu conteúdo, perfeitamente irrelevante à abstração que nos toma nestas linhas. Sendo que por enquanto é ainda impossível ou plenamente discutível que possamos qualificar a qualidade do conteúdo de uma obra em valores tão absolutamente quantitativos, voltemos aos números.

E estes são os 1625 m por 150 kg. Parece-nos que nesta conjugação ganha a DISTÂNCIA ao PESO, mas estranhamos a ausência de qualquer menção à sua ALTURA. Qual é, na perspectiva do Livro dos Recordes do Guinness, o vencedor absoluto: 1625 m por 150 kg em A4, ou esse recorde vê-se ameaçado por uma outra peça com uma DISTÂNCIA menor, mas compensada em ÁREA por um formato maior como o A3 por exemplo?

E podemos ter-nos precipitado ao desconsiderar o seu PESO como factor igualmente determinante: haverá implicações na gramagem do papel escolhido? É a "maior BD de sempre" a 1625 m por 150 kg ou 1625 m por 250 kg? Pode parecer à primeira vista que ambas ocupam a mesma DISTÂNCIA sendo o seu PESO desprezível, mas perguntemos à bibliotecária qual lhe parece MAIOR quando esta a carrega às costa cada vez que um leitor lhe pede ao balcão uma consulta.

Mas trata-se de uma mera hipótese académica: obviamente teremos que, neste exemplo, abstrairmo-nos do seu contexto de uso já que a BD em questão foi publicada em formato Túnel, não Livro. E, claro, abstrairmo-nos igualmente de que, pela mesmíssimo formato em questão, também não é sequer uma BD mas não nos aborreçamos com essas peculiaridades quando estamos a falar da "Maior Banda Desenhada de Sempre". 

Fiquemo-nos pela DISTÂNCIA. Caso contrário teremos que admitir como válidas toda uma série de outras unidades de medida. A VELOCIDADE talvez: qual a BD "mais rápida de sempre"? - não se referindo esta à leitura da mesma mas à velocidade a que é projectada entre o ponto A e o ponto B (onde por feliz coincidência podemos equiparar a velocidade de leitura à velocidade de distância percorrida quando se trata de "O Fim do Poder" e a caixa da FNAC onde o comprei como Ponto A e o caixote do lixo onde aterra como Ponto B).

Outra: ALTITUDE? qual "a BD mais alta de sempre"? Descartando obviamente a BD que um qualquer tuga lê num avião de regresso da Angouleme à parvalheira passando por cima dos Pirenéus: tal como não satisfaz a nossa definição de VELOCIDADE, esta ALTITUDE pressupõe continuidade física.

Inversamente: PROFUNDIDADE, alguém? Novamente, excluindo obviamente o conteúdo da dita ou o conhecimento que esta contém, mas enquanto "a BD mais funda de sempre"...?

Tantas, tantas possibilidades.

Deixamos aos académicos o debate. Entre as hipóteses que adiantamos, ou na contradição às nossas sugestões - porque não haverá alguém de problematizar o nosso próprio enunciado, argumentando que o nº de voluntários É! efectivamente relevante quando tão sumariamente descartámos essa variante...? - não podemos concluir sem novamente reparar que o conceito de BD continua em mutação

Fim de paródia: if u'r in for tha fun podes parar de ler aqui. Seguem-se mais algumas citações a jeito de notas para arquivo por quem concede à ciência mas acompanha-as pelo seu lado humano.

...o contraste entre dois tipos de espírito (...) a diferença entre os temperamentos geométrico e intuitivo. Por geométrico entende o espírito que trabalha com definições exactas e abstrações na ciência ou a matemática. Por intuitivo, o espírito quando trabalha com ideias e percepções insusceptíveis de definição exacta. (...) As matérias geométricas são tratadas por todos os bons espíritos sem qualquer discussão sobre as suas interligações, e os erros de raciocínio são rapidamente notados e prontamente admitidos por aquele que os comete; enquanto, em matérias de intuição, de finesse, os pormenores a tomar em consideração são tão numerosos e esquivos que o raciocínio acerca deles é arriscado e os bons espíritos chegam, muito honestamente, a diferentes conclusões.

xtra fun!


"pretty sure I got me one more joke around here somewhere..."

Fuck. Entretanto descobrimos tamanhos algures. Mas não só não vamos rescrever a piadinha, como vamos piadar por cima... Ora, cada vinheta tinha 1x1m. Não sendo matemática a nossa cena, 1625 metros divididos por 1602 vinhetas de 1x1 não batem certos. Temos que supor & concluir que ao contrário de um outro livro que nos ocupou por este espaço há pouco tempo atrás, a "maior BD de sempre" deve vir com o igualmente "maior prefácio de sempre", 23 metros de prefácio para ser exacto.

pulhices