first time? drop dead.
come back on ur 3rd time here...

teses

cómicos

readings

dee and dum

fanzines

main comix/zines

meet tha crew

about us

ain't kansas no mo'

Citações sacadas daqui: "A Lei da Selva de Raul Correia e Eduardo Teixeira Coelho", 2 set 2016

Se me permitem uma nota pessoal (e abro parentesis)

'migo, parentesis para notas pessoais é definição dOS POSITIVOS. Permissão concedida. Adiante:

A Lei da Selva contém aquele que, muito possivelmente, será o meu último texto,

...bored already.

não só de uma certa extensão

...and tha crowd goes wild!

como até, eu diria, impresso em papel.

Ainda resquícios do fetiche do papel? Been there, done that, realisticamente falando: os nossos teens a caminho de doutores nunca compraram um jornal na vida, nem para as aulas trazem caneta quanto mais caderno, a última vez que viram um manual foi no liceu, e olham-me com real espanto quando lhes pergunto se leram a bibliografia. Tempos mudam: se não cabe no iphonalaxy não existe.

Nunca se sabe, claro, mas não prevejo mais colaborações minhas em nenhuma publicação. Por um lado, e isso já me fez escrever "semi-retired" no meu perfil aqui ao lado, não há dinheiro em Portugal para fazer nada, por outro, já cheguei a um ponto em que pequenos apontamentos neste blogue é tudo o que me apetece escrever (fecho os ditos cujos).

Abrimos os ditos cujos. A moral, obviamente, é não levar demasiado a sério um meio que é só risos. There be a lesson there somewhere. O autor demorou mais algum tempo do que nós a lá chegar mas tivemos a vantagem que ele nunca teve: podemos lê-lo e outros como ele.

E essa, dear gents, be tha law of tha jungle: you're only as good as ur last war + dead is apathy.

Small print? Small print:

A nossa intenção não é aquela que parece se essa te parece harsh. Continuamos a contribuir para o "Journal for the Advancement of Portuguese Comics" - população: 1- mesmo se o fazemos da forma mais, well, harsh. Outros há que queiram avançar os comics pela construtiva. (Des)comparações à parte, vejam o exemplo de outro conhecido crítico que na última intervenção que fizemos ao Isabelinho lhe deixou o um comentário de confiança:


( daqui )

"Não feches nem desanimes? Certamente quem fala assim não vem daqui :) Mas enfim, diferentes modos de chegar ao mesmo: há quem ampare, nós empurramos - desde que o incentivo esteja lá.

Três curtas notas ao comentário anterior. Um: realça a importância das apps. Dude's onto somethin': o digital não lhe é estranho, mas estranhamente continua preso a formatos do século passado no que respeita às suas crónicas e críticas. Dois: os teens são o futuro. Porque concordamos tentamos dar-lhes um curso acelerado em comics aqui nOS POSITIVOS: o que é o "Journal for the Advancement of Portuguese Comics" se não o tentar que comecem a corrida já muitos metros mais à frente dando-lhes a vantagem de ler -uh- nos...? Três: Aidan como redenção. Do início da sua crónica/crítica quando essa bd lhe aterra na caixa de correio:

não deixa de ser uma fonte de felicidade quando nos deparamos com gestos que abandonam as preocupações usuais e clássicas da banda desenhada, como a de “contar histórias” ou até “mostrar relevância”

...e obviamente parámos de ler nesse ponto: não nos conseguimos relacionar a bds irrelevantes sem história. Mas questionamos as promessas de redenção quando ainda vêm no correio - metaforicamente falando ie.

Mas voltando a Isabelinho: há que bater no ceguinho até ele ver vermelho. Porque, e sigam a nossa lógica: a quem sofre de cegueira, qualquer que seja a gama cromática que lhe consigam só pode ser um upgrade.

Brincamos. Deixamos aqui o registo que se segue porque andámos a falar de erros nas últimas semanas e por coincidência o tópico dá-se ao tema. A citação acima? Segue-se o first draft tal como foi apanhado em cache no nosso agregador de feeds:

3 erros? Precisamos de vos dizer o quanto esse nº é mágico entre nós? Num post que transpira a desilusão sobre bd? Com alguma melancolia em ruído de fundo? Logo agora? E devidamente corrigido entretanto para que só aqueles que espreitam under the hood e efabulem intenções fantásticas o encontrassem? Is it a sign, god?

U talkin' tha me? U talkin' tha me, punk?

Um holofote a meio da noite a apontar aos céus um morcego para chamar a atenção do BatmumaTM conseguia ser menos descarado que este pedido de ajuda pelo conhecido crítico.

Ou,

Estamos perante aquela estranha arte da "edição do texto" que tanto nos preocupa agora. Difícil decidir, e deixamos o reparo aos que não compreendem quando estamos em modo satírico.

Ainda em prol de uma total transparência de intenções, outra coincidência de timmings poderá ter suscitado todo este longo reparo: o autor que hoje nos ocupa não aprovou um comentário nosso no seu site vai para algum tempo já. Parecemos-vos o tipo de gaijo arrogante, contraditório, invejoso e indigno que não iria notar? (*)

* Pista: depende do quanto nos julgas dotados.

We've written rules
And obeyed laws
It's time to show 'em who's boss
And follow nameless cause
So ban the book
And clean the slate
They'll know the whole truth
When it's much too late
You're only as good as your last war
So fan the fire
And watch it burn
Talk about right
This time you're gonna learn
That you don't fuck
With authority
With authority
You're only as good as your last war
Lie to me
I need it
And then he laughed
And hung his head
'Cause he knew what it was like
To really be dead
It's apathy
Dead is apathy
spermbirds

back to tha future!