sorry folks: u forgot tha say 'please'
voltaremos quando vos for mais inconveniente

first time? drop dead.
come back on ur 3rd time around...

teses

cómicos

readings

dee and dum

fanzines

main comix/zines

meet tha crew

about us

lifestyle

Neste artigo da Heidi MacDonald, "editor in chief" do Comics Beat mas publicado na Slate, ela discorre sobre a tendência crescente nos States de trasvestir os cartoonistas da veia cómica em cartoonistas animados.

Get it? Autores de "indie comics" que descobrem na animação afinidades de práticas, experiências e sensibilidades. Surpresa-surpresa how wild is that?

Um dia depois no TCJ os comentários são bastante menos abonatórios à peça, e mais-ou-menos(!) que se acercam na essência da questão - o próprio artigo chama-se singelamente "Money". Citamos:

"Anyhow, yeah, this is very much about the money and the proliferation of networks that can take people on, as well as the emphasis on character design and cheap labor over traditionally “good” animation. (...) It’s pure capitalism.”
Dan Nadel

E, não necessariamente relacionado com o ponto que aqui fazemos hoje mas que espelha a nossa posição sobre os cómicos :)

“Ah yes, comics eats its own. (...) Comics is just so desperate for love that it’ll take any form of abuse as attention."
O Mesmo Gaijo

Mas to recap: o pessoal dos cómicos vira-se par a animação por uma questão de subsistência pura e dura ainda que possa ter um gostinho pela coisa? Quem sabe onde gastamos o nosso latim está por estas linhas a compreender ao que vimos e começa a sorrir. Mas fica ainda melhor, segue-se o punchline. No artigo original da Heidi, algures lá para o fim a jeito de conclusão:

"And the increasing hybridization of multimedia is spilling over into other arenas. In five years you’ll be writing a story about how indie cartoonists are getting into the video game scene"

Sério? o multimédia está spilling para outras áreas, e daqui a 5 anos vamos ver os indies na scene dos videojogos? D-a-q-u-i a cinco? Ela queria dizer os últimos cinco, certamente.

Cómicos, animação, multimédia e videojogos. E nós a pensar que éramos bicho estranho, afinal é todo um lifestyle. Só não o sabíamos porque os comentadores de serviço ainda nos têm de presentear com o rol nacional das aves raras que por aí espantem.

still there, still doin' that

fuck I feel old

karma